25 de novembro de 2014

Mulheres das centrais realizam panfletagem contra violência

    Mulheres das centrais realizam panfletagem contra violênciaAs trabalhadoras das centrais sindicais realizaram na manhã desta terça-feira (25) a distribuição de milhares de panfletos para pedir o fim da violência praticada contra as mulheres. A panfletagem foi relizada no centro de São Paulo, no largo da Concórdia e foi organizada pelo Fórum Nacional de Mulheres Trabalhadoras das Centrais Sindicais – formado por sindicalistas da Força Sindical, CUT, Nova Central, UGT e CTB – para marcar o Dia Internacional de Combate a Violência contra a Mulher.

    Segundo Maria Auxiliadora dos Santos, secretária Nacional de Políticas para as Mulheres da Força Sindical, as mulheres exigem o fim da violência contra a mulher no mundo do trabalho, com a eliminação do assédio moral e sexual, da desigualdade salarial entre homens e mulheres e enfrentamento a violência física contra a mulher. “Vamos manter uma luta permanente para acabar com a desigualdade salarial que é, ainda hoje, o pior crime praticado contra as mulheres”, declarou Auxiliadora .

    A sindicalista ressaltou que serão realizadas diversas atividades entre os dias 25 de novembro e 10 de dezembro, período que é realizada a Campanha dos 16 Dias de Ativismo. “Durante esse período recomendamos que as instâncias estaduais das centrais façam as atividades para fortalecer a luta contra a violência”, disse.

    Quando foi criada
    A campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” foi criada em 1991 por 23 feministas de diferentes países, reunidas pelo Centro de Liderança Global de Mulheres (CWGL), nos Estados Unidos. Trata-se de uma mobilização educativa e de massa, que luta pela erradicação desse tipo de violência e pela garantia dos direitos humanos das mulheres. A campanha é realizada em 159 países.

    O objetivo de desenvolver a campanha é promover o debate e denunciar as várias formas de violência contra as mulheres no mundo. No Brasil, os 16 dias de ativismo foram assumidos pelo movimento feminista brasileiro, sintonizado com a Campanha Internacional.

    Fonte: Assessoria de Imprensa da Força Sindical

NOVEMBRO NEGRO: NO DIA 26 O GDVAE TEM UM CONVITE PARA VOCÊ


GOSTARÍAMOS DE ESCLARECER QUE ESTE EVENTO É DE RESPONSABILIDADE DO G.D.V.E NA PESSOA DE MARGARETE E JOSEMAR APENAS ESTAMOS DIVULGANDO A PEDIDO DO S ORGANIZADORES, MAIORES ESCLARECIMENTOS: 8788-9472. 8820- 2706

O Grupo de Desenvolvimento Socioeducativo e Valorização dos Agentes de Endemias (GDVAE) convida a todos para um evento de fortalecimento da campanha "Novembro Negro", que será realizado no dia 26 de novembro, no Centro Cultural da Câmara, das 8h30min às 12h. São os agentes de combate às endemias contribuindo para a promoção da saúde da população masculina.Portanto, não deixem de prestigiar o evento!

AGENTE ACOMETIDA POR CÂNCER NECESSITA DA SOLIDARIEDADE DOS AGENTES DE SAÚDE

Marineide Alves Santos, agente de saúde, do Distrito Sanitário da  Liberdade, está vivendo um drama na sua vida. A colega está com câncer e precisa da solidariedade dos agentes comunitários de saúde (ACSs) e dos agentes de combate às endemias (ACEs), para poder arcar com as despesas decorrentes da doença.
Para solidarizar-se com a companheira, a Associação dos Agentes Comunitários e de Endemias de Salvador - BA (Aaces) promove a Campanha Agente, Seja Solidário com Marineide! Os sensibilizados com a causa podem depositar qualquer quantia na conta 00095909/1, agência 0618, operação 013, da Caixa Econômica, no nome de Marineide Alves Santos. Para maiores informações, favor contactar com Lúcia pelo telefone (071) 8864-3142. Que Deus abençoe a todos!



PISO NACIONAL: VEJA O RESULTADO DA ÚLTIMA REUNIÃO DO GT

Por Ubiraci Moraes
O Grupo de Trabalho (GT) instituído pela Portaria 1.833  reuniu-se na última terça-feira, dia 18, em Brasília. Na reunião, foram apresentadas as planilhas norteadoras da contratação dos agentes comunitários de saúde (ACSs) e dos agentes de combate às endemias (ACEs) nos vínculos direto e indireto. Por essa proposta, apenas 72% dos municípios  receberiam os recursos da Assistência Financeira Complementar (AFC) em 2015, ocasionando várias demissões de agentes de saúde.
Para isso não ocorrer, o GT deliberou que os recursos continuarão a chegar às prefeituras, apenas por mais um ano, através de portarias. À medida que os municípios forem atualizando o Cadastro Nacional de Estabelecimento do SUS (CNES), as portarias serão convertidas em AFC gradativamente.
O Ministério da Saúde, para resolver a questão dos agentes de combate às endemias (ACEs), criará provisoriamente um Código Brasileiro de Ocupação (CBO), até que o Ministério do trabalho e Emprego libere as prefeituras para fazerem o cadastramento de todos os ACEs no CNES. 
Para esses agentes, os recursos da AFC serão incorporados à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) do Ministério da Saúde. Mas a liberação do pagamento do piso será proporcional ao cadastramento feito pelas prefeituras dos ACEs no CNES. Isso significa dizer que só os agentes com vínculo regularizado com o município receberão  o piso. Nas outras situações, o município terá um prazo de até  um ano para fazer a regularização dos ACEs e ACSs.

24 de novembro de 2014

Diferentes regiões do país correm risco de terem surtos de dengue e chikungunya no verão

Diferentes regiões do país correm risco de terem surtos de dengue e chikungunya no verão



(Foto: USDA/AP)
Assim como a dengue, o vírus da febre chikungunya  deve se espalhar pelo país no período de férias de verão. Época em que há uma grande movimentação de pessoas, inclusive para as ilhas do Caribe, onde há grande disseminação do vírus. Em entrevista ao G1 o médico Stefan Cunha Ujvari, infectologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz e autor do livro “Pandemias: a humanidade em risco”, disse que o alto fluxo de pessoas pode trazer o vírus. E caso ocorram chuvas, que levam a um maior número de mosquitos, tem uma chance muito grande de o chikungunya eclodir como uma epidemia no próximo verão. O médico da Sociedade Brasileira de Infectologia Carlos Roberto Brites Alves, lembra que os vetores da dengue e da chikungunya são os mesmos: os mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus. “Temos dengue há mais de duas décadas e não conseguimos eliminar a infecção, pois não conseguimos eliminar os mosquitos. A chance de o chikungunya seguir um padrão semelhante de ocorrência é grande”, afirma o especialista.
Bahianotícias

NOTA DE FALECIMENTO




É com muito pesar que comunicamos o falecimento do agente de saúde da FUNASA Sr. José Brito. O servidor era aposentado e trabalhou no PA do Campo Grande, com a supervisora Joanice Brito. A Associação dos Agentes Comunitários e de Endemias de Salvador - BA (Aaces) solidariza-se com todos os familiares e amigos neste momento de dor.

PACIENTE NECESSITA COM URGÊNCIA DE DOAÇÃO DE SANGUE




O paciente   Juarez Valente necessita urgentemente de sangue do tipo O-. No entanto, o banco de sangue aceita outro tipo para fazer permuta. Os doadores devem dirigir-se ao HEMOBA.
Doar sangue é doar vida!







Com dispensa de licitação, secretaria contrata programa de gestão por mais de R$ 2 milhões


Com dispensa de licitação, secretaria contrata programa de gestão por mais de R$ 2 milhões
Foto: Divulgação
A Prefeitura de Salvador contratou, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SMED), um instituto para operacionalizar o Programa de Gestão da Qualidade do Ensino e da Aprendizagem. De acordo com o Diário Oficial do Município da última sexta-feira (21), o contrato no valor de R$ 2.010.280 ocorreu com dispensa de licitação. Segundo a subsecretária da SMED, Teresa Pontual, a lei permite a contratação de instituições de ensino sem fins lucrativos que estejam compatíveis com a demanda do órgão, desde que se comprove a validade dos valores cobrados. Além de atender a estes requisitos, o Instituto Qualidade no Ensino (IQE), de acordo com Teresa, já foi contratado no ano passado pela prefeitura para o programa “Salvador Avalia”, que mudou de nome em 2014. “O IQE é uma instituição de ensino e pesquisa criado por professores da rede pública, com dois atestados de capacidade técnica e visa melhorar o aprendizado dos alunos”, explicou. Pontual explica que os bons resultados obtidos em 2013 aliados ao bom recebimento do programa na rede pública levaram à escolha do instituto. “Eles já trabalham com essa didática e dão sugestões de como trabalhar na sala de aula. O resultado foi muito positivo”, avalia.

BAHIANOTÍCIAS

23 de novembro de 2014

250 parlamentares são citados nas investigações da Lava Jato, diz coluna


250 parlamentares são citados nas investigações da Lava Jato, diz coluna
Foto: Reprodução
Mais de 250 parlamentares já foram citados, de alguma forma, em depoimentos da Operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). Isso significa que eles estão diretamente ou indiretamente envolvidos no esquema de desvio de dinheiro da empresa estatal Petrobras, durante o período do governo de Dilma Rousseff (PT). A informação é do jornalista Felipe Patury, em sua coluna da revista Época. O número significa quase metade da Câmara de Deputados. Segundo lei complementar nº 78/1993, tal quantidade não pode ultrapassar 513. Os nomes dos parlamentares, contudo, não foram revelados pela coluna. 

BAHIANOTÍCIAS

Preconceito

“Racismo ainda é um crime quase que perfeito”

No Dia da Consciência Negra, movimentos fazem marcha por reformas, desmilitarização da PM e mais inclusão social em São Paulo
por Renan Truffi — publicado 20/11/2014 19:35
Lino Bocchini
Dia da Consciência Negra
A 11ª Marcha da Consciência Negra reuniu aproximadamente 2.000 pessoas segundo os organizadores
O Dia da Consciência Negra ainda é uma data comum em capitais como Curitiba, Campo Grande, Salvador, Fortaleza, Belém. São Paulo, contudo, é uma das 1.046 cidades brasileiras que decretaram a celebração como feriado municipal. A opção de alguns estados e municípios brasileiros mostra como parte da sociedade brasileira ainda resiste à discussão do racismo e do preconceito contra negros no País.
“Precisamos combater isso na prática, e não só nas palavras. E deveria virar um feriado nacional e não só em alguns municípios e estados. Enquanto não é um feriado nacional, enquanto não tem essa valorização, a data é tratada como um feriado que não tem relação com essa luta e com a importância que exige”, defende o subprefeito do Jabaquara, Wander Geraldo (PCdoB).
Por conta disso, na capital paulista, movimentos negros realizam todos os anos a Marcha da Consciência Negra. A 11ª edição reuniu aproximadamente 2000 pessoas, segundo a organização, e ocupou as ruas do centro da cidade. O ato começou no meio da tarde no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP)e percorreu ruas como a avenida Consolação até chegar ao Theatro Municipal, onde foram realizadas as primeiras manifestações públicas do movimento negro no Brasil, ainda na época da ditadura.
Neste ano, os organizadores colocaram como principais reivindicações: reforma política; democratização da mídia; desmilitarização da Polícia Militar; fim dos autos de resistência; políticas de inclusão social e implantação das leis antirracismo, entre outros temas. “Infelizmente o racismo ainda é um crime quase que perfeito. Está em todo lugar, as pessoas tratam quase como piada, como brincadeira. Os nossos jovens continuam a ser exterminados: 77% dos homicídios são contra jovens negros e pobres”, afirma a presidenta do PMDB afro de São Paulo, Tati Braga.
A celebração teve participação de movimentos como a Coordenação Nacional de Entidades Negras (Conen), UNEafro e o Círculo Palmarino. Estiveram presentes também representantes do PT, Psol, PC do B, PMDB, PSTU e PCO, como o ex-deputado e presidente municipal do PC do B Jamil Murad e o deputado estadual Adriano Diogo, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa. Fizeram parte da marcha ainda baterias de escola de samba, religiosos e militantes e apoiadores da causa em geral.
“A data incomoda porque mexe com o conservadorismo da sociedade brasileira. Nós da Conen sabemos que, apesar dos avanços e das conquistas, as desigualdades ainda persistem no Brasil. Além disso, o pensamento conservador tem sido estimulado pela mídia conversadora e está impregnado na nossa sociedade”, analisa Flávio Jorge, secretário executivo da Coordenação Nacional de Entidades Negras.
Além de música, a manifestação teve uma performance artística da arista Olívia Vitória, que se despiu no vão-livre do Masp e, toda pintada, substituiu a roupa por adereços africanos, como colares e lenços. “[A performance] representa todos meus ancestrais, a estética deles foi abafada. Ainda tem muita coisa para a gente fazer, para enxergar e reconhecer”, explica. “As pessoas têm dificuldade de aceitar isso [a Consciência Negra] e de enxergar o racismo, o preconceito. E na verdade é uma grande ignorância, no sentido de falta de conhecimento”.
CARTA CAPITAL
Política

Operação Lava Jato

PSDB, DEM, PSB e PT contrataram empresa investigada pela PF

A suspeita da Polícia Federal, informa jornal, é que a All Win, que prestou serviços a políticos, tenha recebido verba da OAS e seja uma empresa de fachada
por Redação — publicado 20/11/2014 12:10, última modificação 20/11/2014 15:41
Imagens do Facebook
all win.jpg
O ministro Aloizio Mercadante (PT), o prefeito de Santos Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e Gabriel Chalita (PMDB)
Uma empresa de propaganda contratada em 2010 para prestar serviços ao PSDB, DEM, PSB e PT está na mira das investigações da Polícia Federal na Operação Lava Jato. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo publicada nesta quinta-feira 20, a investigadores da PF interrogaram executivos presos na última sexta-feira sobre as ligações entre a All Win Propaganda e a empreiteira OAS.
Os executivos ficaram em silêncio durante o interrogatório, mas a suspeita da Polícia Federal é a de que a All Win integre o esquema de propina da Petrobras e seja uma empresa de fachada utilizada para lavar dinheiro.
A empresa prestou serviços para diversas campanhas dos mais variados níveis em 2010, entre elas a da própria presidenta Dilma Rousseff, a do então candidato ao governo pelo PT Aloizio Mercadante, a de Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), atual prefeito tucano de Santos, a de Ulisses Sales (hoje no PSD e eleito à época pelo DEM) e a do então candidato a deputado federal pelo PSB Gabriel Chalita (atualmente filiado ao PMDB), além das campanha dos então candidatos a deputado do PT Valdeci Augusto Oliveira (BA), Rui Falcão (SP),Arlindo Chinaglia (SP) e Ricardo Berzoini (SP).
Também contrataram a empresa como fornecedora em 2010 Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), atual prefeito de Santos, Ulisses Sales (PSD), suplente a deputado estadual e eleito à época pelo DEM, e o ex-deputado estadual Valdeci Augusto Oliveira (PT-BA).
Usaram os serviços da empresa-irmã da All Win o então candidato a deputado federal pelo PSB Gabriel Chalita –hoje no PMDB– (R$ 313 mil) e o atual presidente do PT Rui Falcão (R$ 73 mil).

entre outros.
À Folha o presidente o proprietário da All Win, Marcelo France, afirmou estar “surpreso” com a investigação.
No final de 2013, segundo relatório da Polícia Federal, o doleiro Alberto Youssef e o funcionário da OAS José Ricardo Nogueira Breghirolli (ambos presos) teriam combinado uma entrega de dinheiro no endereço onde funciona a All Win, na rua da Consolação, em São Paulo. De acordo com anotações do doleiro encontradas pela PF, naquele dia estava previsto um "money delivery" no valor de R$ 110 mil.
CARTA CAPITAL

22 de novembro de 2014

AGENTES COMUNITÁRIOS TRABALHAM NA VACINAÇÃO CONTRA A POLIOMIELITE


Neste  sábado (22) começa a campanha da vacinação contra a poliomielite. Todos os postos de saúde de Salvador estarão abertos até às 17h.  Os pais ou os responsáveis devem levar suas crianças que tiverem a partir de 6 meses até 4 anos e 11 meses de idade para serem vacinadas.
Esta campanha conta com a participação maciça dos agentes comunitários de saúde (ACSs), valorosos profissionais que trabalham pela promoção da saúde.

Fernando Baiano afirma que começou a operar esquema na Petrobras no governo FHC


Apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção da Petrobras, o empresário Fernando Baiano afirmou em depoimento à Polícia Federal concedido nesta sexta-feira (21), que iniciou seus negócios com a estatal ainda no governo Fernando Henrique Cardoso, em 2001. “Por volta do ano de 2000, ainda durante a gestão Fernando Henrique celebrou um contrato com uma empresa espanhola, de nome Union Fenosa, visando a gestão de manutenção de termelétricas”, diz o relatório, segundo informações do jornal O Estado de São Paulo. Para a PF, Baiano, que se apresentou nesta semana após ter prisão solicitada no último dia 10, atuava na Área Internacional da petrolífera, comandada pelo ex-diretor Nestor Cerveró, que conheceu, conforme disse à polícia, “ainda no governo Fernando Henrique”, quando ele era gerente.  O lobista ainda relatou que o doleiro Alberto Youssef pediu que ele “fizesse doações para campanhas políticas” e que teria indicado que “alguma empresa” representada por ele também o fizesse. Baiano negou, porém, que tivesse repassado valores para Youssef e que tenha operado para “qualquer partido político”. O empresário assumiu que tem duas contas no paraíso fiscal de Lichtenstein, país fonteiriço a Suíça: uma está em seu nome e outra, em nome de sua empresa, a Tecnhis Engenharia e Consultoria. Segundo ele, ambas as contas são “declaradas”. O lobista também relatou à PF que encontrou com Youssef no Rio “a pedido” do então diretor de Abastecimento da Petrobrás, Paulo Roberto Costa, “logo após a morte do deputado José Janene”. O parlamentar, na época líder do PP na Câmara dos Deputados, chegou a ser réu do processo do mensalão, morreu em 2010, e é apontado pela polícia como o mentor do esquema investigado pela Operação Lava Jato, em parceria com o doleiro. Baiano também citou uma suposta dívida de R$ 20 milhões assumida pelo empresário Júlio Camargo, ligado à Toyo Setal Empreendimentos. Ele afirma que Camargo, um dos delatores da Lava Jato, lhe deve esta quantia por conta de negócios com sondas de perfuração e pagou apenas R$ 3 milhões e depois “enrolou”.

Bahianotícias

21 de novembro de 2014

Corpo de padre morto após reagir a assalto é velado em Ipiaú


Corpo de padre morto após reagir a assalto é velado em Ipiaú
Foto:Giro em Ipiaú
O corpo do padre da Paróquia de Ituberá, Gerisvaldo Batista dos Santos, 52, foi velado e sepultado na manhã desta sexta-feira (21) em Ipiaú, sul baiano. O sacerdote, conhecido como padre Géris, foi vítima de uma tentativa de assalto na BA-001 no último dia 8, quando não parou o carro onde estava e recebeu disparos de arma de fogo por bandidos. O sepultamente ocorreu às 11h, no Cemitério Jardim da Saudade, e contou com caravanas de cidades como Gongogi, Ilhéus, Itabuna, Camamu, e outros. De acordo com informações do site Giro de Ipiaú, o padre Géris era cotado para ser o próximo candidato a prefeito do município de Gongogí, também do sul baiano.

A cada três minutos, um gay sofre violência no Brasil

por Edgar Maciel | Estadão Conteúdo
A cada três minutos, um gay sofre violência no Brasil
Foto: Divulgação
A cada três minutos, um homossexual sofre algum tipo de violência no Brasil. Nos últimos quatro anos, o número de denúncias ligadas à homofobia cresceu acima dos 600%. Segundo números obtidos pelo jornal O Estado de S. Paulo, o Disque 100, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDHPR), registrou 1.159 casos em 2011. Neste ano, em um levantamento até outubro, os episódios de preconceito contra gays, lésbicas, travestis e transexuais já superam a marca de 6,5 mil denúncias. Os jovens são as principais vítimas dos atos violentos e representam 33% do total das ocorrências. A cada quatro casos de homofobia registrados no Brasil, três são com homens gays. Para a SDHPR, o crescimento das denúncias é um fator positivo para combater a violência homofóbica. A coordenadora da área LGBT, Samanda Freitas, diz que o desafio é apurar os crimes. "Precisamos melhorar o atendimento desses casos e isso passa por um treinamento dos policiais para que identifiquem os crimes de ódio LGBT e investiguem com o mesmo cuidado que as demais ocorrências", afirmou. Cerca de 26% dos casos acontecem nas ruas das grandes cidades. Aproximadamente 76% dos casos são de homossexuais que sofrem preconceito no trabalho, assédio moral e perseguição.  

Bahianotícias
Unidade de saúde de Plataforma ainda não tem data para ser reaberta
Foto: Reprodução / Subúrbio News
Uma reforma não concluída da Unidade de Emergência de Plataforma, no Subúrbio Ferroviário de Salvador, adiou a abertura do posto de Saúde, fechado há cinco anos. Segundo a assessoria da Secretaria de Estadual de Saúde (Sesab), a não abertura se deve a problemas na adequação dos equipamentos da unidade. Assim, moradores da localidade terão que se dirigir às unidades de Pronto Atendimento (UPA) de Escada e de Roma, ou às emergências dos hospitais do Subúrbio e João Batista Caribé.

Bahianotícias

Mudança no horário do sepultamento da colega Alba Valeria


Informamos que houve mudança no horário do sepultamento da colega Alba Valéria, que passou para as 13h de hoje.
Pedimos a colaboração dos nossos colegas para divulgarem nas redes e ligarem para os nossos contatos, informando a mudança do horário, a fim de que haja tempo hábil para presta-lhe nossa última homenagem. 

INFELIZMENTE MAIS UMA NOTA DE FALECIMENTO



É com muito pesar que divulgamos o falecimento da guerreira e nossa irmã de farda ALBA VALERIA AMARAL DA SILVA ACE, lotada no Distrito Sanitário Subúrbio Ferroviário.


O sepultamento será hoje, 21 de novembro, às 13h00 *(horário alterado) no Cemitério de Plataforma.



Segundo IDEB não houve melhoras na educação… Salvador uma das piores do Brasil

ACM-Neto-e-Jorge-Khoury
Segundo levantamento de dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica em Salvador não apresentou melhoras nestes dois anos de gestão ACM Neto. Diante disso o prefeito da capital“teria se reunido com o titular da pasta, Jorge Khoury Hedaye, para cobrar dele melhoras de forma imediata”, afirma uma fonte ligada a Secretaria de Educação do Município.
Captura de Tela 2014-11-20 às 17.19.09Captura de Tela 2014-11-20 às 17.17.44
Fonte: TV do Servidor Público

Dilma se manifesta no Facebook e no Twitter a favor do fim do auto de resistência


Dilma se manifesta no Facebook e no Twitter a favor do fim do auto de resistência
Foto: Reprodução/Facebook
O perfil da presidente Dilma Rousseff no Facebook postou nesta quinta-feira (20), dia da Consciência Negra, um vídeo de apoio ao fim dos autos de resistência, notificação feito por agentes policiais para indicar o uso de força em casos de resistência à prisão em flagrante ou por mandado. "Temos que criar uma cultura de paz, impedindo a violência que recai sobre a nossa juventude negra", diz a mensagem que acompanha o vídeo. Desde o início de novembro, movimentos sociais têm reivindicado a aprovação do projeto de lei (PL) 4471/2012, que institui o fim deste mecanismo administrativo.

Bahianotícias

20 de novembro de 2014

Prefeitura concede benefício tributário para terreiros de Candomblé


Prefeitura concede benefício tributário para terreiros de Candomblé
Foto: Divulgação/ Valter Pontes/ Ascom
A prefeitura reconhece, a partir desta quinta-feira (20), os terreiros de Candomblé para fins jurídicos e administrativos e sua equiparidade com outros tempos religiosos, como as igrejas. Isso significa, na prática, o usufruo de benefícios tributários por parte das organizações ligadas aos povos e comunidades de terreiros, inclusive imunidade. O decreto, publicado no Diário Oficial do Município (DOM), foi anunciado e assinado na noite desta quinta-feira (19) pelo prefeito em solenidade de inauguração do Novo Observatório Permanente da Discriminação Racial e Violência otnra LGBT, localizado na Rua Carlos Gomes. Estima-se que, na capital baiana existam mais de 1,2 mil espaços como esse. Na ocasião, a secretária municipal de Reparação, Ivete Sacramento, afirmou que cada templo religioso não precisa assumir outras denominações que não expressem a sua natureza eminentemente religiosa. "Essas entidades possuem formas próprias de organização e são de extrema importância cultural, social e econômica, utilizando conhecimentos, inovações e práticas geradoras e transmitidos pela tradição", disse a secretária.

Bahianotícias

Crianças com alergia ao leite não devem tomar vacina contra sarampo de laboratório


Crianças com alergia ao leite não devem tomar vacina contra sarampo de laboratório
Foto: Reprodução
Um comunicado do Ministério da Saúde alerta as secretarias estaduais e municipais de Saúde que não apliquem a vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, a rubéola e a caxumba, em crianças que tenham histórico de alergia à lactose, a proteína do leite de vaca (APVL). Segundo a pasta, a restrição vale apenas para doses fornecidas pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd. “A informação é preventiva, pois foram notificados alguns casos de reações adversas em crianças que têm alergia ao leite de vaca. Vale ressaltar que todas as crianças passam bem”, informou, em nota, o ministério. Crianças com intolerância à lactose do leite podem receber a vacina normalmente. Segundo o comunicado, o laboratório é pré-qualificado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e fornece, há anos, doses para vários países, inclusive para o Brasil. Ainda segundo a pasta, embora não exista na bula nenhuma contraindicação do uso em pessoas que apresentam alergia ao leite de vaca, como medida de precaução, o Ministério da Saúde enviou a todas as secretarias estaduais de Saúde informe técnico recomendando que crianças com histórico de alergia ao leite de vaca não sejam vacinadas com a tríplice viral. Nestas crianças, a vacinação deverá ocorrer em uma data posterior.

Bahianotícias

Sumiço do garoto Davi põe PM baiana em xeque

Mãe do garoto de 16 anos desaparecido conta que ele sumiu após ser abordado pela polícia; a mobilização #CadeDavi lembra a causada pelo desparecimento de Amarildo

por Manuca Ferreira — publicado 19/11/2014 15:55

Reprodução/Facebook

Rute, mãe de Davi, cobra declaração pública das principais autoridades do estado, entre elas, o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o governador Jaques Wagner
Na manhã do dia 24 de outubro, dois dias antes do segundo turno das eleições, o adolescente Davi Fiúza, 16, conversava com uma vizinha na porta de casa, no bairro de São Cristóvão, em Salvador, quando foi abordado por policiais durante uma operação. Em seguida, teve os pés amarrados, foi encapuzado e jogado no porta-malas de um carro, modelo Gol, cor prata. É o que conta sua mãe, Rute Fiúza, para quem essa história foi relatada por pessoas que presenciaram o episódio.

São Cristóvão é um bairro pobre de Salvador, próximo ao aeroporto internacional da capital baiana, por onde chegam milhões de turistas todos os anos. Davi, que morava com o pai e a madrasta em Periperi, outro bairro periférico de Salvador, é negro e havia retornado à cidade após uma viagem a Aracaju com a mãe, poucos dias antes do suposto sequestro cometido por policiais.

A possível participação de policiais está sendo investigada pela Corregedoria da Polícia Militar e pela Polícia Civil. O delegado Antônio Carlos Magalhães Santos, da 12.ª Delegacia de Salvador, disse a CartaCapital que a participação de membros da PM no desaparecimento do jovem não foi confirmada. Entretanto, ainda de acordo com ele, já foram identificados os policiais que estavam trabalhando no bairro naquele dia e estes devem ser escutados ainda esta semana. “Não estou dizendo que eles têm qualquer tipo de envolvimento. Quero deixar isso claro”, afirmou Santos. A PM não havia se manifestado até a publicação desta reportagem.

A mãe diz estar convencida de que foram policiais graças aos vários relatos de vizinhos. “(Uma testemunha) afirma até número de viatura. [...] É um descaso total aqui na Bahia. A verdade é essa. Um descaso total. Meu filho não é o primeiro não. Muitos casos estão acontecendo aqui na Bahia, infelizmente”, critica.

Dois casos recentes de violência policial tiveram muita repercussão no estado. Em 2010, o menino de nove anos, Joel Conceição Castro, negro assim como Davi, foi morto durante uma operação policial no complexo de favelas do Nordeste de Amaralina. O caso de Joel ficou conhecido nacionalmente por ele ter sido garoto-propaganda do governo do estado e ter sua história contada em um documentário produzido por Max Gaggino. Nove policiais foram denunciados pelo Ministério Público e até hoje nenhum foi condenado.

O outro caso, que ocorreu em agosto deste ano, teve lances de barbárie. Geovane Mascarenhas de Santana, de 22 anos, desapareceu após uma operação policial no bairro da Calçada. O pai da vítima, Jurandy Silva, obteve um vídeo que mostrou a abordagem violenta de policiais que o colocaram dentro de um carro após ter sido parado numa blitz de moto. O corpo de Geovane foi encontrado, 13 dias depois do desaparecimento, esquartejado, com partes dos membros espalhadas em pontos distintos da capital baiana.

Os policiais envolvidos, Cláudio Bonfim Borges, Jailson Gomes de Oliveira e Jesimiel da Silva Resende, das Rondas Especiais (Rondesp), Batalhão de Choque da PM baiana, foram soltos em outubro após terem cumprido 60 dias de prisão provisória. Dados divulgados pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública em seu 8.º Anuário de Segurança Pública mostram que a polícia deste estado foi a terceira que mais matou em 2013, logo atrás das polícias do Rio de Janeiro e de São Paulo, respectivamente no primeiro e segundo lugares. Foram 234 homicídios causados por policiais militares baianos no ano passado.

“A polícia daqui é muito arbitrária. É um genocídio, né? Eu me sinto numa ditadura disfarçada de democracia, como já dizia Cazuza”, critica Rute Fiúza.

Os dados da ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública são questionados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA). Em nota oficial, a SSP discorda da metodologia da ONG para aferir números de homicídios e investimentos na área de segurança pública. Ainda de acordo com a SSP baiana, foram pedidas algumas vezes para que o Ministério da Justiça estabeleça uma metodologia única para facilitar a identificação da situação da segurança pública nos estados e evitar distorções nas análises dos dados.

A mãe de Davi cobra ainda uma declaração pública das principais autoridades do estado, entre elas, o secretário estadual de Segurança Pública, Maurício Barbosa, e o governador Jaques Wagner. A família de Davi já fez diversas manifestações a fim de chamar a atenção dos governantes. Um tuitaço com as hashtags #cadedavi e #somostodosdavi foi realizado na última quinta-feira, 13, seguido de uma manifestação na frente da sede da SSP, na sexta-feira, 14. Mais uma manifestação será realizada nesta semana. Segundo a SSP, a família pediu uma audiência com o secretário, mas ele está em recesso e só retorna a Salvador na próxima quarta-feira, 19.

O caso remete ao desaparecimento de Amarildo Dias de Souza, 42, ajudante de pedreiro que desapareceu em julho de 2013, na Rocinha, após ter sido detido por policiais na porta de casa. Ele foi levado à UPP do bairro durante o que teria sido uma ação que envolveu 300 oficiais para prender suspeitos após um arrastão ocorrido ali perto e não foi mais visto. Logo seu desaparecimento tornou-se alvo de uma campanha iniciada em redes sociais, "Onde está o Amarildo?", que recebeu apoio público de diversos movimentos sociais, da sociedade civil e de artistas. Sua família foi, então, colocada no Programa de Proteção à Testemunha.

Além da decepção e da angústia da falta de informações, outra coisa tem tirado a tranquilidade de Rute. Ela e sua família foram ameaçadas desde que começaram a falar do provável envolvimento de policiais no desaparecimento de Davi. Isso levou a família a pedir à Secretaria estadual de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos a inclusão no Programa Nacional de Proteção à Vítima dos Direitos Humanos.

“Caso seja determinado pelo Conselho (Deliberativo do Programa de Proteção às Vítimas e Testemunhas Ameaçadas de Morte do Estado da Bahia, presidido pela SJCDH, formado pelo Ministério Público, Tribunal de Justiça, Assembleia Legislativa e representantes da sociedade civil), o ingresso da família na rede de proteção, o Governo do Estado tomará todas as medidas necessárias para garantir o direito de proteção às vítimas e testemunhas ameaçadas”, afirmou em nota a secretária estadual de Justiça, Ariselma Pereira.

“Tem muita gente mandando mensagem, muita ameaça, muita coisa [...] Eu não posso ficar calada quando tem 22 dias(completados na última sexta-feira) que ninguém me diz nada, o governo não me diz nada”, lamenta Rute Fiúza.

“As noites para mim são piores. Durante o dia ainda tenho esperança de encontrá-lo. Você não imagina os caminhos inimagináveis que eu já procurei meu filho”, afirma a mãe de Davi já com a voz embargada. Ela prossegue: “Aonde é que Davi está?”. Desta maneira, a mãe encerra a entrevista, ecoando o que a família e amigos têm perguntado nas diversas manifestações, enquanto esperam a resposta dos órgãos competentes, na esperança de que o desfecho desta história seja melhor do que os de Joel, Geovane e das outras 11.197 pessoas que, segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, foram mortos pelas polícias brasileiras entre 2009 e 2013.